R$ 0,25

O fenômeno dos guarda-chuvas perdidos está mais que bem documentado (é uma conspiração enorme conectada à misteriosa multiplicação de clips de papel no fundo da gaveta), mas muito pouco tem sido dito sobre sapatos avulsos rolando pelo mundo.

Uma vez, há muito tempo, deixei cair uma moeda de 25 centavos no chão. Ao abaixar para recuperá-la, vi o pé esquerdo de um par de sapatos. Estava dentro de um canteiro quadrado que deveria conter apenas uma árvore, e não uma árvore e um pé esquerdo de um par de sapatos. Achei estranho, imaginei que o pé direito estivesse por perto. Procurei rapidamente nas redondezas, sem sucesso.

Desde esse dia (conhecido como O Dia Em Que Meus Olhos Foram Abertos) tenho visto um número assustador de sapatos avulsos. Um par de sapatos na rua é algo claro e óbvio, significa que estão de tal forma destruídos que nem um mendigo gostaria de tê-los. Um único pé gera perguntas.

Se for um sapato que literalmente desmanchou no pé do antigo proprietário, é compreensível. Às vezes, a pessoa não queira se dar ao trabalho de arrastar aquele pé esquerdo até em casa, preferindo deixá-lo por onde caiu do pé mesmo. Mas, quase sempre, são pés esquerdos (ou direitos) perfeitamente utilizáveis ainda, sem qualquer falha estrutural evidente.

Ando ficando bastante deprimido por causa dos sapatos na rua, porque a única explicação que consigo encontrar é que saiu do pé do indivíduo e por algum motivo foi deixado. Isto é, o cara não parou para recolocar o sapato. Sabe, quando você tá andando com sapatos um pouco grandes demais e eles começam a escorregar e você precisa parar e dar aquela empurradinha de calcanhar para entrar direito? Ou quando a parte de trás "pega" em algum objeto e você tem que parar e calçar o sapato de novo? É super normal, você pára e calça o sapato de novo. Se você estiver embalado a ponto de não conseguir parar, o sapato sai voando, você fica envergonhado mas volta, pega e calça, não? Ninguém continua correndo para pegar o ônibus e abandona um pé do par alí, no meio da rua, não é?

Aparentemente, existem muitas pessoas com vidas tão excitantes, divertidas, leves, alegres e emocionantes que sapatos não importam. Pessoas felizes, satisfeitas e tranqüilas a ponto de perder um sapato sem culpa. Apenas sorriem e continuam. Provavelmente existem milhares de coisas melhores a fazer que pegar o pé perdido do sapato! Com certeza não é sem um leve prazer arrogante que a pessoa deixa o pé esquerdo (ou direito) para trás. Como quem diz, pff, sapato? Que coisa mais mundana...

Existem pessoas tão elevadas e intrigantes andando por aí, agarrando o touro pelos chifres, flutuando no éter absortos em tecer sutis e elegantes filosofias existenciais, e nós aqui, abaixando para pegar moedinhas de 25 centavos.

6 comentários:

Guik disse...

Eu mesmo não uso sapatos... Somente botas, geralmente pretas...

Se você quiser experimentar, bota preta dentro!

Fritelix disse...

Queria te contar não Matias, mas isso é uma ação das Irmãs Clarentinas descalças e dos Frades Franciscanos de sandálias. Você descobriu um dos caminhos para a iluminação: pé no chão.
abç

Fritelix disse...

Queria te contar não Matias, mas isso é uma ação das Irmãs Clarentinas descalças e dos Frades Franciscanos de sandálias. Você descobriu um dos caminhos para a iluminação: pé no chão.
abç

saintcahier.livejournal.com disse...

Watch the quarters and the loonies will take care of themselves...

LuuuH disse...

Impressionante! Nunca tinha parado para notar isso! Vou começar a prestar mais atenção nas coisas a minha volta... Talvez eu encontre algumas respostas...

melão disse...

é mathias...

texto interessante para quem ainda não se deparou com a realidade da existência do saci-pererê. desculpa acabar com sua dúvida e seus motivos de reflexão....